BALBÚRDIA 

Casa do Olhar Luis Sacilotto

de 18 de maio a 29 de junho de 2019

por Carollina Laureano

Na exposição individual Balbúrdia, encontram-se reunidas na Casa do Olhar um conjunto de quinze pinturas à óleo da artista paulistana Camile Sproesser. Os trabalhos selecionados para a mostra trazem a público momentos diversos da produção da jovem artista, que percorrem caminhos que vão do abstrato ao figurativo. Em comum, as obras aqui apresentadas possuem coerência no uso de materiais e linguagem artística.

 

Mas a produção não esbarra somente em uma investigação de linguagem. Há no trabalho da artista uma urgência em ocupar a tela, como se essa urgência fosse sua própria necessidade em reclamar seu lugar no mundo; de fazer-se ouvida. Não por acaso é comum observar frases e textos como parte dos elementos que compõem as telas, acrescentando assim uma nova camada interpretativa de sua pintura enquanto objeto de comunicação.

 

Nesse sentido, a pintura Medusa (2018) pode ser compreendida tanto como a síntese desse pensamento, ao mesmo tempo que nos introduz à um novo momento na carreira de Sproesser. Ali, a artista passa a explorar um elemento central em suas pinturas, no qual os objetos abstratos dão espaços a um figurativo, que exprimem em sua gestualidade um caráter completamente combativo. Mesmo quando escolhe por retratar objetos, ela expressa uma necessidade de dar luz às violências que tem sido cada vez mais evidenciadas nesse momento de mundo. Não obstante, questões sociais e de gênero norteiam suas produções mais recentes.

 

Com composições singulares, Camile Sproesser traduz em pintura os sentimentos de uma sociedade em transformação. Em suas telas, a artista nos convida a refletir que, embora estejamos cercados de informações que nos fazem estar atentos a todo momento, também é preciso de pitadas de humor e exagero para seguir sobrevivendo e imaginando novas possibilidades de futuro.